Premium A Justiça que treina no Seixal

José Manuel Ribeiro

Tópicos

Oito dias depois de sorteado o juiz que vai decidir um recurso, a SAD do Benfica tem o azar de o convidar para a visitar o centro de treinos

Foi uma desafortunada coincidência. Escreve o "Público" que a 27 de dezembro último, literalmente oito dias depois do sorteio do juiz que decidirá o recurso do caso que condenou o FC Porto por divulgação dos e-mails, o Benfica resolveu convidar os sócios com 50 anos de filiação a visitar o Seixal. Por embaraçosa infelicidade, o desembargador sorteado tinha completado os 50 anos de sócio em março.

O juiz Eduardo Pires pediu agora escusa do processo, por ser mesmo muito benfiquista, mas achou normal o convite, segundo o jornal (confirmando que, de facto, ele tem motivos para duvidar da sua imparcialidade). O convite ao juiz é uma espécie de súmula do verdadeiro sentido dos e-mails que todos lemos, e que já foi quase totalmente branqueado, com uma boa ajuda dos resultados no campo (no fundo, tudo o que interessa aos "muito benfiquistas", "muito portistas", etc.). Nos dias que correm, as televisões falam do caso como se, bem vistas as coisas, as revelações fossem apenas a lista de supermercado de Soares Oliveira, em vez de uma catadupa de provas e indícios de uma rede de influências e arbitrariedades feitas de sonsices como esta do convite para o Seixal.