A Seleção no Euro 2020 de andebol: divertido, épico e espetacular

A Seleção no Euro 2020 de andebol: divertido, épico e espetacular
José Manuel Ribeiro

Tópicos

O percurso da equipa nacional é tudo o que se pede para angariar adeptos. Pelo menos, os que tiveram a sorte de o poder acompanhar

Não posso pôr-me na pele de uma pessoa estranha ao andebol, mas nada me impede de falar por mim, nem de agradecer à Seleção Nacional pelas muitas horas de divertimento e entusiasmo destas últimas duas semanas. Nunca agradeci a uma seleção, nem a um selecionador, nunca cantei os parabéns a nenhum, nunca fui de cachecol para um jogo, nunca aceitei pôr um daqueles que, nestas ocasiões, teimam em pendurar nos jornalistas, e também não escrevo "nós" quando falo de seleções portuguesas. O nosso trabalho consiste em sermos testemunhas e não claques.

Mas ser testemunha pode ser aborrecido ou divertido, pode ser indiferente ou épico, pode despertar-nos ou dar-nos sono. No caso do Europeu"2020 de andebol, que ainda não acabou, está a ser divertido e épico. Os que têm a sorte de poder pagar a Sport TV viram jogos espetaculares, alguns deles do melhor andebol que se pode esperar, rápido, tecnicista, potente, tático, sempre competitivo. E viram nascer novas estrelas nacionais de quem muita gente passará a saber o nome, embora não tanta como aconteceria caso a RTP estivesse atenta ao contexto deste campeonato.

Foi uma falha grave numa matéria que é de puro e indiscutível serviço público: a rara oportunidade de contribuir para a ampliação do perímetro deste nosso desporto tísico por parte de quem recebe, dos "nossos" impostos, 50 vezes o orçamento editorial deste jornal. Esperemos que não se tenha perdido muito.