Premium Sérgio vs o palato da massa adepta

Sérgio vs o palato da massa adepta
José Manuel Ribeiro

Tópicos

Com tantos executantes finos no plantel, é a vez de Marega e Soares aprenderem a jogar japonês

1. O FC Porto acaba 2019 a satisfazer o paladar dos adeptos. Às vezes, isso não é tão positivo como parece, mas neste caso vai ao encontro das exigências de um campeonato interno que está a pedir melhor jogo atacante. Depois da dupla todo o terreno Danilo/Loum, Sérgio Conceição ampliou, às vezes muito, a quantidade de executantes finos no onze, tanto que as más definições de Marega e Soares, no passe, na receção e na tabela, começam a dar nas vistas como nunca.

Até para esses dois as novas companhias serão boas, porque vão melhorar, por pouco que seja, para além de ganharem mais municiadores. No centro da mudança estão dois jogadores, um menos popular do que o outro. Antes de chegar este Nakajima, já Otávio estava a pegar naquela vaga função de "dez", mas praticamente só com um interlocutor (Corona) que falasse a mesma língua. O japonês é a terceira roda, com muito sucesso. Tudo indica que o FC Porto revolucionado em julho começará a mostrar as diferenças para o anterior em janeiro.