Exclusivo A equipa como "animal ferido"

Luís Freitas Lobo

Tópicos

PLANETA DO FUTEBOL - Um artigo de opinião de Luís Freitas Lobo.

1 Tento entrar no que será hoje a cabeça de Jesus dentro do seu mundo particular e todo universo benfiquista. Mais do que a preparação tática dum jogo, imagino-o como um treinador espécie de "animal ferido". Toda a equipa estará assim após a derrota frente ao FC Porto, sofrendo sem conseguir nunca verdadeiramente mostrar oposição em campo. A reação natural, usando a imagem do "animal ferido", é ele esconder-se no fundo da toca, tratar das feridas meio assustado, mas com um instinto de sobrevivência sobredimensionado por esse assalto/trauma recente.

Admito que esta imagem futebolístico-animalesca possa parecer demasiado selvagem, mas o futebol, antes da ciência e pensamento, é mesmo assim, excessivo nas emoções e reações. Jesus deixou-se cair numa armadilha (o regresso à Luz e nova época com hostilidade interna maior) que ele, em vez de combater, promoveu com o seu ego desmesurado. No meio, o "affair" com o Flamengo.