Exclusivo Rafa e Luis Díaz: os grandes desequilíbrios individuais   

Rafa e Luis Díaz: os grandes desequilíbrios individuais   

Para Jesus, saber quando entra Luis Díaz (se não for de início) será sempre a questão que, em temos de coberturas da sua ultima linha defensiva, mais o deverá preocupar

É o jogador que hoje todos esperam poder "agitar" qualquer jogo quando entra mas nem por isso terá de ser obrigatoriamente titular. Penso em Luis Díaz. Um jogador indispensável para o FC Porto mais imaginativo (desequilibrador com finalização) mas que, em face dos equilíbrios táticos naturais que Conceição tem de promover de raiz no onze, tem de esperar o momento certo para... entrar em campo. Quando essa sensibilidade do treinador e inspiração do jogador se cruzam (e passa para dentro do relvado) em geral isso significa resolver o jogo.

Para Jesus, saber quando entra Luis Díaz (se não for de início) será sempre a questão que, em temos de coberturas da sua ultima linha defensiva, mais o deverá preocupar. Penso, além das questões coletivas, no poder das individualidades. Porque, cada vez mais, os jogos empatam-se pelas equipas e ganham-se pelos jogadores. Embora ambos os conceitos devam estar interligados, há sempre jogadores que sentimos poderem estar acima da chamada "corrente de jogo". No Benfica, esse jogador é Rafa. Mas, neste caso, ninguém duvida que jogará de início.